Seção de atalhos e links de acessibilidade

Seção do menu principal

Conselheiros Tutelares participam de formação continuada do SIPIA
13 municípios

Publicado em: 25 de Julho de 2022

Autor: Eliza Gund

Fonte: Diretoria de Comunicação


Data: 25 de Julho de 2022

Autor: Eliza Gund

Fonte: Diretoria de Comunicação


Teve início nesta segunda-feira (25) a formação continuada Sistema de Informação Para Infância e Adolescência Módulo Conselho Tutelar – SIPIA/CT – MT. Conselheiros tutelares das reginais de Colíder e Alta Floresta se reuniram no Instituto Federal de Mato Grosso, onde acontece a instrução de formações para qualificação do atendimento à criança e ao adolescente.

O município sedia pela segunda vez, a primeira capacitação aconteceu no mês de março, quando a Coordenadora estadual do SIPIA, Rebecca Alves Marques Souza, fez a apresentação do sistema e retorna ao município com a formação continuada, atendendo cerca de 13 municípios.

Os resultados, conforme a coordenadora, já estão sendo vistos. “A adesão ao SIPIA está sendo muito gratificante, Alta Floresta a gente já teve a adesão pelos conselheiros tutelares, eles estão cadastrando os atendimentos, informações, denúncias, do conselho tutelar no sistema, então a gente está conseguindo uma adesão significativa dos conselheiros tutelares com relação ao SIPIA”, apontou Souza.

O SIPIA é um sistema nacional de registro e tratamento de informações na área da Infância e Juventude, compondo o conjunto articulado de ações descrito no artigo 86 do Estatuto da Criança e do Adolescente/ ECA. É uma plataforma de gestão e monitoramento, voltada aos segmentos da sociedade atuantes na garantia e defesa dos direitos fundamentais preconizados no Estatuto, sendo o Conselho Tutelar um protagonista neste processo.

A importância da adesão é explicada. “A gente consegue pontuar, mapear as violações de direitos, porque eu posso ter um município onde o maior índice de violação do direito da criança é do adolescente é o abuso e eu posso ter um município com a realidade diferente, que seja conflito familiar. Então a gente consegue mapear, pontuar essas violações e depois subsidiar políticas públicas direcionadas e efetivas para que esses direitos dessas crianças sejam resguardados”, finalizou Souza.

A formação continuada acontece entre os dias 25 à 29 de julho de 2022.